Como Surgiu a Escrita Japonesa

Eu sei que a história do Japão não começa exatamente aqui! Mas quero cobrir primeiros os períodos mais importantes para o Japão, E o período Nara foi um deles por diversos motivos.


Você provavelmente já ouviu falar da cidade de Nara, uma viagem muito comum no itinerário de turistas que vão para Osaka e Kyoto. Eu mesma já tive a oportunidade de viajar para Nara em 2018 na minha primeira viagem para o Japão.

A cidade é principalmente conhecida pelos cervos que ficam soltos e recebendo comida de todos que aparecem. Mas não é só isso que a cidade tem para mostrar.

Rodeada também por grandes templos budistas, Nara já foi uma das capitais do Japão. De 710 á 784 a Imperatriz Genmei fundou a capital de Heijō-kyō, que hoje é chamada de Nara.

Por conta disso foi onde mais o budismo se desenvolveu, pois, o Japão estava sobre grande influência da cultura chinesa nessa época, tendo como modelo a cidade de Chang'an (atual Xi'an), capital da China no reinado da Dinastia Tang.

Apesar de muitos considerarem ela como a primeira capital oficial do Japão, nem todos consideram isso como 100% verdade. A capital do Japão ainda se moveu mais algumas vezes durante esse período, Nara permaneceu como capital da civilização japonesa até que o Imperador Kanmu estabeleceu uma nova capital, Nagaoka-kyō, em 784 e 10 anos depois foi movida para Kyoto.

Por conta da grande influência chinesa no Japão muitas coisas foram trazidas, arquitetura, religião, nesse caso o Budismo e a escrita. O budismo foi uma das principais religiões do Japão durante esse período até o Período Meiji onde a religião Shinto voltou a ganhar forças com a população. Hoje às duas religiões coexistem em harmonia.



Foi nessa época, também, que o Japão começou a estudar intensamente a escrita chinesa, mesmo já tendo sido estudo algumas formas de escritas para o Japonês a escrita chinesa foi adaptada e incorporada no Japão, os famosos Kanjis começaram a ser utilizados, e em 759 os caracteres conhecidos como Kanas (hiragana e katakana) foram criados para ajudar na escrita japonesa de acordo com a pronuncia que já existia no Japão.

Então logo começaram a surgir contos literários, poesias e documentos todos por escrito. A maioria dos poemas eram escritos apenas com Kanjis de acordo com a pronúncia, e às vezes de acordo com o significado. Por conta disso são poucas as pessoas que conseguem entender poemas e contos escritos naquela época.

Obras como Kojiki ou Furukotofumi (古事記), o livro mais antigo sobre a história do Japão antigo, foram criadas naquela épooca. E logo depois, Nihon Shoki (日本書紀), às vezes traduzido como Crônicas do Japão, é o segundo livro mais antigo sobre a história do Japão. Este livro também é chamado de Nihongi (日本紀 lit. Crônica japonesa).

Acredita-se que houve dois outros registros mais antigos, mas estes desapareceram. O imperador Tenmu, que subiu ao trono em 637 d.C., achou que todas as histórias deveriam ser preservadas. Encarregou Hiyeda no Are de realizar esta tarefa, mas o imperador morreu antes do Kojiki ser compilado. Depois de 27 anos, veio à luz o Nihon Shoki. Os dois foram editados manualmente no reinado da imperatriz Guensho (715/723), mas foi imperatriz Guenmyo (708/715) que ordenou a propagação das histórias na sua corte.
O objetivo de divulgar as histórias era provar a origem celestial do povo japonês. O Kojiki foi mantido em manuscritos por monges budistas até ser impresso pela primeira vez em 1664. O Nihon Shoki foi escrito originalmente em chinês mas o Kojiki, embora escrito na mesma língua, tinha uma sintaxe puramente japonesa, o que firmou a crença shintô no país.

Fonte: https://www.nippo.com.br/historiadojapao/n065.php


Não só a escrita, mas também o código de legislação Chinês foi trazido e incorporado no Japão durante o Período Nara. O governo central também instituiu templos chamados de kokubunji nas províncias. O Tōdai-ji era o kokubunji da província de Yamato (atual província de Nara), dando mais força ao Budismo estabelecido na capital.

Assim como a maioria dos períodos o fim vem com a mudança de imperador e de capital, O período Heian (平安時代 Heian jidai) é a última divisão da história clássica japonesa, indo de 794 a 1185começou em 794, depois da mudança da capital do Japão para Heian-Kyo (atual Kyoto), pelo 50º imperador, Imperador Kanmu.


Gostou desse post? Não esqueça de compartilhar. Espero que gostem dos outros conteúdos do site. Fiquem bem, fiquem seguros, abraços.

67 visualizações2 comentários

©2020 por Hey, Ju! Listen!. Orgulhosamente criado com Wix.com