Bleach OVA: Burn the witch


Assim que anunciou a produção desse anime eu já fiquei muito interessada por ser do mesmo autor de Bleach - saudades, inclusive. Mas eu me surpreendi quando eu fiquei sabendo que de fato ele é um OVA, ou seja, um especial, uma side story.


"Burn the Witch" se passa doze anos após o fim o arco da Guerra Quincy (Quincy War Arc) no mangá de Bleach e retrata o dia-a-dia de duas bruxas no ramo ocidental da Soul Society. Embora seja o mesmo universo, a mesma "realidade", desta vez não há Shinigamis ou Espadas e etc. Assim como as culturas são bem diferentes em ambos os lados do mundo, mesmo fazendo parte de um sistema parecido, os nomes e funções mudam.


Ao invés de Hollows, aqui temos Dragões. Dragões? Sim, dragões. E esse termo serve tanto para as criaturas aladas quanto para qualquer coisa anormal que os humanos não reconheçam. E os responsáveis por vigiar, capturar ou matar esses dragões, essas anomalias, são as chamadas "bruxas".


Noel e Nina fazem parte da divisão Wing Bind que cuida da criação e recolhimento de dragões, mas acabam envolvidas em uma trama muito maior ao se depararem com um Dragão Negro andando pelas ruas do que eles chamam de Londres Reversa - onde dragões e bruxas convivem com pessoas que podem enxergar esses seres sobrenaturais.


Eu gostei muito da elaboração, da lógica construída dessa outra metade do universo, mas embora tenha acompanhado o mangá que fora lançado como uma minissérie de quatro capítulos, os três episódios do anime pareceram correr muito rápido. Deixaram o observador um tanto perdido aos eventos e a explicação um tanto vaga, já que o prólogo estava no quarto capítulo cujo não foi adaptado para a animação.


Eu li que há a probabilidade de ganhar mais alguns capítulos e, consequentemente, alguns episódios. O que eu, honestamente, espero que aconteça, pois a animação fora de muito boa qualidade, houve fluência nos movimentos e o enredo pareceu ser bem promissor e diferente dos outros shounens que estamos acostumados. Além de bastante cômico.


Porém, infelizmente, teremos de esperar para saber. Enquanto isso, nos auto-torturamos com apenas simples três episódios de mais ou menos vinte minutos. Choremos.


30 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo