Jujutsu Kaisen

Quando falaram que Jujutsu era um "anime de exorcistas" minha mente já vagou diretamente para Ao No Exorcist (Blue Exorcist) e pensei "vish! que falta de criatividade!"


Mas eu estava redondamente enganada. Criatividade é o que não falta em Jujutsu, em muitos aspectos.



Até a data deste artigo, o anime está em seu sétimo episódio e, embora seja pouco, já se mostrou muito promissor. Ele está planejado para ter 24 episódios, então, por isso, talvez as coisas transcorreram bem rápidas, mas não num sentido ruim; a passagem dos eventos foram bem objetivas.


Jujutsu Kaisen acompanha o jovem chamado Itadori Yuji que vivia normalmente em sua escola junto a seus colegas, somente tirando pelo fato - ainda não explicado - de ser extremamente forte. Seus amigos formavam um grupo de pesquisas e investigações sobrenaturais, e é através da aquisição de um artefato misterioso que Itadori se envolve no mundo do Jujutsu (feitiçaria).


Quando seus amigos são atacados por uma criatura medonha, ele encontra Megumi Fushiguro, um garoto que apresenta tecnicas "mágicas" para salvá-lo, e Satoru Gojou, seu misterioso tutor. Fushiguro explica que aquilo que os atacara era chamado de Maldição, e no decorrer do anime é passado que há vários tipos e níveis de Maldições. E aquele objeto que Itadori pegou, portava uma maldição do mais alto nível. Ele pertencia a Sukuna, o Rei das Maldições.


Após esse ataque Gojou o faz optar: morrer agora, exorcizado devido o contato direto com uma maldição, ou morrer após ajudá-los a encontrar as outras partes de Sukuna. E é assim que Itadori entra para a Escola Técnica de Feitiçaria Metropolitana de Tóquio, ajudando os exorcistas a juntar os pedaços de Sukuna antes que caíssem em mãos erradas e as Maldiçoes se tornassem mais fortes.



Eu me surpreendi bastante com o anime, pois ele traz uma outra visão do gênero shounen. Há, nele, um quê de terror e seriedade, muitas vezes até mesmo com cena de violência e mutilação explícita.


O protagonista não relembra em nada - exceto pelo cabelo rosa espetado e pela força de vontade (que é uma marca aparentemente necessária para todo bom protagonista de shounen) - outros do mesmo gênero. Itadori, embora seja divertido, bondoso e um tanto inocente, também consegue ser bem taciturno, inteligente e completamente destemido; o que o faz ser aceito na escola.


A direção está de parabéns quanto à animação, pois os movimentos mostram naturalidade e os ângulos explorados fizeram toda diferença na hora de montar as cenas mais importantes e impactantes. O traço, por vezes, é um pouco desigual do que estamos "acostumados", num tom de cores mais pastéis, dando a ligeira impressão de terem sido realmente desenhados e pintados à mão.

12 visualizações

©2020 por Hey, Ju! Listen!. Orgulhosamente criado com Wix.com